De novo, Diego?


Mais uma vez Diego Costa se envolveu em polêmica, desta vez nada mais nada menos que com o técnico dos Blues, Antônio Conte. Não é de hoje que Diego vem criando polêmica, desde os tempos de Atlético de Madrid/ESP já não era o atacante mais querido pelos adversários devido ao seu jogo de contato e muita imposição física. 

Entretanto isso que era uma das grandes armas do jogador e um grande atrativo para a torcida, o "jogador guerreiro" começou a virar um calvário pra Diego Costa. O feitiço virou contra o feiticeiro, Diego começou a extrapolar nas divididas, sobrando as vezes um braço ou uma perna e foi empilhando cartões, polêmicas e desafetos.

Dentro do próprio Stamford Bridge, Costa já havia se desentendido com o brasileiro Oscar em um treino, e desta vez com Conte. Algo que pode novamente rachar o vestiário azul, já que o resto do elenco pode entender que um ou outro está certo, e até tomar partido, algo que poderia colocar mais uma temporada a perder.
Momento exato da discussão: Diego discorda das instruções de Antonio Conte e pede para o treinador tirá-lo.
Discussões dentro de vestiário são normais e necessárias, mas não a ponto de quase chegarem as vias de fato após uma vitória de 3 a 0 sobre o atual campeão. Diego tem ótimos números na temporada até aqui e não pode ele mesmo acabar com sua temporada.

Deixo um exemplo de jogador da posição e do estilo de jogo, Drogba. O ídolo dos Blues tem um estilo muito parecido, de gostar do confronto corpo a corpo com os defensores, muita força e entrega nas disputas de bola, mas ao contrário de Diego, sempre teve ótima conduta dentro e fora de campo, alem de contar com a admiração de muitos adversários .

Sobre sua postura, Diego Costa deveria pensar mais em ajudar a equipe do que discutir e provocar os zagueiros adversários, diminuir o número de cartões já que o próprio acumulo pode o tirar de jogos importantes, até por que para o Chelsea, Diego Costa é muito importante, é o homem gol do time, o cara que vai ganhar pontos por si só quando os jogos forem encardidos e não puder ser na habilidade de Hazard, na velocidade de William ou na classe de Fàbregas. 

Por: Paulo Vitor