Chega de comodismo, Chelsea


É frustrante o comodismo exagerado de Abramovich, Granovskaia, Emenalo e companhia. Estamos já na primeira semana de pré-temporada, apenas 3 reforços apresentados - sendo 1 reserva absoluto de Courtois, muitas especulações, tentativas fracassadas de assinar com reforços de peso e muitas dúvidas nas cabeças dos torcedores. 

Vale lembrar que estamos sem nosso artilheiro das últimas temporadas. Diego Costa não se reapresentou, e na Data FIFA deu uma entrevista dizendo que Antonio Conte não contaria mais com ele. Não era mentira, como muitos pensavam. Ninguém sequer toca no nome do hispano-brasileiro dentro do Chelsea. E esse é o grande problema: quem será nosso homem-gol na temporada 2017/18? Batshuayi? Limitadíssimo. 


O Chelsea não obteve sucesso na renovação de Solanke, destaque das categorias de base da Inglaterra, e foi parar no Liverpool. Abraham, assinou um novo contrato com o Blues e foi emprestado ao Swansea. Além deles, Remy também não deve ficar. Considerando isso, restou apenas Batshuayi. É muito pouco.

Bakayoko foi o último reforço anunciado.
Antes da abertura da janela, esperávamos de fato por um zagueiro, um lateral direito e outro esquerdo, um meia/winger e um centroavante. Até agora chegaram um goleiro (Caballero), um zagueiro (Rudiger) e um volante (Bakayoko). Qual está sendo a dificuldade de assinar com um camisa 9? Sendo essa agora, nossa principal carência? Já foram especulados Morata, Belotti, Aubameyang, Lukaku e por último Aguero. Independente de quem vier, o desespero por um centroavante fará com que o Chelsea gaste horrores. E a cada semana um especulado acaba fechando ou se aproximando de outro time. 

Não dá mais tempo para buscar o melhor custo benefício, tentar gastar menos, não gastar muito. Não. Agora é hora de investir pesado em jogadores pontuais para pensar em disputar algo grande na temporada 17/18.