UEFA Champions League: VOLTAMOS!


O Grupo C da UEFA Champions League 2017/18: Grupo da morte?

O sorteio da última quinta feira, 24, colocou o Chelsea no grupo C da UEFA Champions League, após o hiato de não termos jogado a competição na última temporada. Os azuis de Londres caíram em um grupo complicado, para dizer o mínimo, ao lado de Atlético de Madrid, Roma e Qarabag, do Azerbaijão, mas não impossível. O reencontro de Stamford Bridge com a Europa já tem data e hora para acontecer: 12/09, às 15:45 (horário de Brasília), contra, teoricamente, o adversário mais fraco do grupo.

O retorno à principal competição continental de clubes é motivo de orgulho, mas, no momento, também de preocupação. É sabido que a tabela da Premier League não serve de exemplo pra nenhum campeonato no mundo, mas a combinação desta com as datas da Champions pode trazer dificuldades, sobretudo levando em consideração o enxuto elenco que Antonio Conte tem para trabalhar, pelo menos por enquanto. Vamos analisar abaixo o que se tem até o momento, lembrando que a tabela ainda não é definitiva, na medida em que o avanço na Carabao Cup (Copa da Liga Inglesa) e na FA Cup representa novos jogos e, consequentemente, um calendário mais inchado.

O adversário seguinte ao embate contra o Qarabag é o Arsenal. Em que pese o fato de os dois jogos serem em Londres e os 4 dias de descanso, a obrigação de vitória em ambos os confrontos pode significar utilizar jogadores que não tenham se recuperado completamente do desgaste do dia 12. (Lembrando que a análise é feita sobre o elenco de hoje, sem contar as especulações que podem, ou não, chegar).

Em 27 de setembro, quarta-feira, o adversário é o Atleti em sua nova casa, enquanto no dia 30, sábado, o Chelsea recebe o Man City. O cenário, neste caso, é bem diferente e, talvez, mais complicado: desgaste de viagem, menor tempo de recuperação e dois adversários extremamente complicados.

O jogo em casa contra a Roma, em 18 de outubro, é o que, em teoria, representa a menor dificuldade logística para os Blues. Dia 14, o confronto é contra os rivais de Londres do Crystal Palace, ao passo que dia 23 o Chelsea recebe o Watford em Stamford Bridge. Novamente, pouco deslocamento e bom tempo de recuperação.


Na primeira rodada do "returno" da Champions, 31/10, novamente o campeão inglês pega a Roma, dessa vez na capital italiana. O próximo confronto será contra ninguém menos do que o Manchester United, em 05/11. O ponto positivo é o tempo para recuperação e o fato de jogar em casa, após a volta da Itália.


Em seguida à Roma, novamente o Qarabag, dessa vez no Azerbaijão, e, logo depois, o Liverpool, em Anfield. É importante destacar que esses dois jogos serão os últimos de uma série de 3 jogos consecutivos longe de Londres (o Newcastle é o outro adversário, após o jogo contra o Man United). O ponto positivo é que o Qarabag é o adversário mais fraco do grupo, mas, por outro lado, trata-se da maior viagem nessa fase do torneio.


Se o Chelsea faz 3 jogos seguidos fora de casa, os próximos 3 serão com o apoio da torcida em Stamford Bridge. Os Blues jogarão contra o Atlético de Madrid, talvez valendo a classificação ou a liderança do grupo, não sem antes ter enfrentado Swansea City e Newcastle United, além de enfrentar o West Ham logo após os espanhois, também em Londres.


Como se pode perceber, a tabela é bastante desequilibrada em certos momentos, mesclando momentos de sequências de jogos em casa e fora. Seja como for, uma coisa é certa: ela não pode servir de desculpa. O Chelsea tem a obrigação, como campeão inglês e como cabeça de chave do grupo, de conquistar a classificação, se possível com o primeiro lugar assegurado. Se faltava um empurrão para a diretoria concretizar a chegada de alguns reforços, a tabela e a dificuldade dos adversários vieram bem a calhar.


Este texto reflete a opinião do autor, não sendo, necessariamente, a posição deste site sobre o tema.