Entrevista com Rafael Oliveira

Após uma sequência de entrevistas aqui no Blues Of Stamford, encerramos com o ótimo Rafael Oliveira, jornalista e comentarista dos canais ESPN. Desta vez, falamos sobre Conte, Hazard, oitavas da Champions e muito mais. Confere aí, na íntegra.

Rafael Oliveira coloca Hazard entre os 10 melhores do mundo.
Entrevista comandada por Gustavo de Araújo:

Qual sua opinião sobre os esquemas utilizados pelo Conte nessa temporada? Qual a sua preferência?
Não vejo problemas nos esquemas. Acho interessante ter a variação para um meio-campo mais preenchido em alguns cenários, mas tem dois tópicos importantes para discutir: se há necessidade de abrir mão de maior criatividade contra adversários mais fracos e se as peças do meio justificam tal opção. Então considero um certo pragmatismo exagerado em algumas partidas, justamente quando o jogo pede um time mais solto.

Pegando o gancho da pergunta anterior, qual o melhor esquema para tentar encarar o Barcelona de igual pra igual? 
Aí sim é um adversário contra quem seria válido escalar um trio no meio-campo. Mais do que o esquema, é um duelo que pede total concentração em todos os setores. Um exemplo é o cuidado da ala direita com o papel de Jordi Alba. Talvez Conte opte pelo 3-5-2 para ter maior liberdade para Hazard nos contra-ataques, mas seria importante não abdicar de uma outra peça capaz de manter a posse e criar, como Fabregas ou Willian. O grande problema não é o esquema, mas a desconfiança nas peças que compõem esse meio (pela fase dos volantes).

Em que posição de um Ballon D'or você encaixa Eden Hazard? Ainda há potencial de crescimento na estrela do Chelsea?
Coloco como top-10. Não vejo tanta margem de crescimento porque acho que já atingiu um nível excelente e que provavelmente é o seu máximo. Isso não é um problema. A questão é tentar se manter próximo dele pelo maior tempo possível.
Rafa acha que Hazard provavelmente já atingiu seu melhor nível.
As críticas em cima do Morata são aceitáveis? Qual teu posicionamento sobre o substituto do Diego Costa? Há um peso grande por ser a maior contratação da história do clube?
São aceitáveis e naturais. O Chelsea trocou um atacante pronto e cascudo por uma aposta que chegou pelo preço de solução. É a primeira vez na carreira que Morata tem a responsabilidade de ser o principal 9 e artilheiro de um clube. Até então, era uma ótima opção como reserva ou coadjuvante nas equipes. Existe uma diferença grande. Mais ainda com o alto valor e a sombra de Diego Costa. Não acho que a temporada dele seja um desastre ou tão ruim assim. Aí já acho um exagero na avaliação. Mas sim, concordo que ainda não passa a confiança de que há um goleador implacável no comando do ataque.

Qual sua opinião sobre a política de contratação desse "novo Chelsea", que já não investe toneladas de dinheiro em um jogador apenas? 
Não acho que precise gastar toneladas de dinheiro, mas não gosto das escolhas do clube. O ponto não é nem só entrar nas avaliações individuais, mas sim a falta de compreensão de que o elenco é curto e que a temporada traria desafios bem mais complicados do que a anterior. O calendário é bem mais puxado, todos sabiam que seria assim e o clube simplesmente não fortaleceu seu elenco.

Kenedy novamente emprestado. Há futuro para ele no Chelsea? Tem bola pra isso? 
Hoje, acho difícil imaginar. Tudo depende do crescimento dele no Newcastle, mas ainda parece distante, até por uma questão tática. No Chelsea, só foi opção como ala e lateral. Nunca foi visto como uma realidade para fazer a função dele. No Newcastle, pela primeira vez terá (e já tem tido) chances de mostrar seu valor como meia aberto. O salto precisará ser muito grande para conseguir espaço no Chelsea.
Kenedy foi emprestado pelo Chelsea novamente na última janela.

Por quê, apesar de o Chelsea ter uma das melhores bases da Europa, não vemos tantas crias do clube no time principal? 
É a realidade para os principais clubes de diversos países. Por melhor que você trabalhe a base, a cobrança no time principal é pelo resultado de forma imediatista. A transição dos garotos não é um processo tão simples nesse cenário. Nem sempre há paciência e cada treinador pensa de uma forma. A Premier League, especificamente, é um campeonato com sérias dificuldades na transição. A política de dezenas de empréstimos não tem sido uma solução para o Chelsea. Na prática, a maioria dos garotos se afasta da filosofia do clube e a integração fica ainda menos provável.

O futebol já não é o mesmo, os resultados muito menos e agora começam a surgir polêmicas extra-campo. Acredita que Antonio Conte siga no Chelsea para 2018/19? 
Parece cada vez menos provável. Hoje, é difícil apostar nisso. Mas claro que isso tudo pode mudar com resultados. Conte já mostrou enorme capacidade como estrategista em grandes competições. Se conseguir sucesso contra o Barcelona, talvez supere as polêmicas, por exemplo. Mas o que chama atenção é que ele mesmo não tem feito tanta questão de esconder a insatisfação na relação interna.

Sendo um conhecer de Premier League, em que posição Ross Barkley pode atuar nesse Chelsea com maior eficiência?
Barkley pode atuar tanto como meia do 3-4-2-1 quanto como meio-campista avançado do 3-5-2. Nos dois casos, tem capacidade para conduzir a bola e ajudar Hazard. Tem mais perfil para preencher o meio do que Willian ou Pedro, o que ajuda a ser um híbrido entre os pontas e volantes que se alternam nas escalações atualmente. O grande problema é a falta de ritmo. É muito tempo sem sequência de jogos. E é um jogador que depende muito da sua potência física para as arrancadas. Foi uma contratação interessante pelo preço e pela oportunidade de mercado, mas ainda não mostrou estar pronto fisicamente para contribuir.
Rafa aprovou a contratação de Ross Barkley.
O Chelsea sente a carência de ídolos? Após a saída do Terry, há uma lacuna dentro do clube que ainda precisa ser preenchida? Hazard seria esse nome? 
O Chelsea teve uma geração de lendas. Isso nunca será fácil de substituir. Não há nada parecido com Lampard, Terry e Drogba e cobrar isso seria cruel com as referências atuais. Foram líderes por muitos anos e conseguiam impor um respeito automático por tudo que construíram. Hoje não existe isso, mesmo sendo um elenco campeão inglês. Mas é importante valorizar as referências atuais. Hazard é uma liderança técnica. Vejo Azpilicueta com o perfil de um ídolo discreto e fundamental dentro do elenco atual também. Ou pelo menos com potencial para isso.

Em nome do Blues Of Stamford, agradeço ao Rafael Oliveira pelo tempo dedicado à nós.

Postar um comentário

0 Comentários