Courtois e Hazard - está chegando a hora da decisão


Por Allan Pedro Bastos

O Chelsea segue vivo na sua última chance de conquista de título na campanha 2017/18. A vitória por 2 a 1 contra o Leicester, fora de casa, na prorrogação, aliviou a pressão sobre Antonio Conte e sobre o elenco após a acachapante derrota por 3 a 0 no Camp Nou, que culminou na eliminação nas oitavas de final da Champions League. O duelo no King Power Stadium foi importante por marcar o reencontro de Alvaro Morata com as redes, algo que não acontecia havia mais de 10 jogos. O próximo adversário dos Blues pela competição será o Southampton, pelas semifinais, já em Wembley, no dia 14 de abril.

O resultado positivo foi importante não só por manter viva a possibilidade de uma conquista ainda nessa temporada, mas também por devolver um pouco da confiança ao time e ao treinador. O que se viu em campo foi claramente um time com pouco brilho, com exceção de Willian e Kanté, os destaques individuais do confronto. Hazard, que se omitiu durante todo o jogo de volta contra o Barça, novamente não apareceu contra o Leicester, e isso já é suficiente para que se especule, mais uma vez, sua saída. Em situação parecida, Courtois foi outro que ganhou os holofotes na partida de Barcelona, não pela brilhante atuação que se espera de um goleiro do seu nível, mas justamente pelos dois gols por baixo das pernas impetrados por Lionel Messi.


Resultado de imagem para lionel messi vs chelsea 2018
Lionel Messi contra o Chelsea: 3 gols e 1 assistência nos dois jogos.
As críticas a Hazard e Courtois são justas e justificáveis. Os belgas são, para muitos, os pilares para a construção desse novo Chelsea e deles se espera que assumam a liderança da equipe nos grandes momentos. Não foi o que se viu. Eden até fez boa partida no jogo de ida das oitavas, mas praticamente não foi visto no gramado do Camp Nou. Já em relação ao goleiro, que está no meio de tratativas para a extensão de seu contrato, fica a dúvida se ele vale, de fato, todo o esforço que os Blues estão fazendo para a renovação (tornando-o, possivelmente, o goleiro mais bem pago da Premier League e, quiçá, do mundo).

Particularmente, não acho que devamos embarcar nesse devaneio de que Hazard ou Courtois se tornaram jogadores comuns. São, sem dúvida, acima da média, ainda que não possuam perfis de liderança dentro do grupo. Com essas características, já temos Cahill e Azpilicueta prontos, além de outros que podem vir a desenvolver tais traços. Em termos técnicos, já mostraram que estão alguns degraus acima da maioria e que podem fazer a diferença, desde que estejam com a cabeça em Stamford Bridge. Se estiverem, que fiquem e nos ajudem a conquistar títulos. Se não, faço minhas as palavras de um ex-Blue, William Gallas: "há tantos ótimos jogadores no mundo que, se Hazard ou Courtois tiverem de sair, você consegue encontrar um bom goleiro para substituir Courtois. Há bons wingers para substituir Eden Hazard. Esse é o trabalho dos olheiros, encontrar os jogadores certos."

Este texto reflete a opinião do autor, não sendo, necessariamente, a posição deste site sobre o tema.

Postar um comentário

1 Comentários

  1. O grande problema de Courtois é a falta de identificação dele com o clube. Desde que chegou ele já fala que quer voltar para Madrid e faz questão de reafirmar isso durante toda entrevista. Torcida nenhuma tem confiança em um jogador assim. Com relação a falta de liderança, isso é algo normal vindo de jogadores que querem sair. Uma pena.

    ResponderExcluir