O grande quebra cabeça da zaga do Chelsea para Maurizio Sarri


Por Rodrigo Jardim

Quando falamos em “zaga” na Premier League, lembramos imediatamente do ‘park the bus´ que tanto fez sucesso e tão eficiente para nós blues. Não levando em consideração as temporadas 2011/12 e 2015/16 que foram pontos fora da curva e tivemos inúmeros problemas, trocas de treinadores, mudanças de estilos e etc, a zaga do Chelsea se mantém concedendo menos de 40 gols e sempre que isso acontece, terminamos no top3 da liga e quando fomos campeões não concedemos nem 35 gols. Ótimos números, de fato.
A zaga do Chelsea tem ótimos nomes para o quebra cabeça que Sarri deverá montar, agora, ao que tudo indica, com apenas dois beques. São apenas duas vagas para seis jogadores à disposição, se contarmos que Azpilicueta deverá voltar a atuar na lateral direita. Vamos a eles:

Christensen: É jovem, mostrou potencial durante a última temporada, mas oscilou bastante e terminou no banco. Tem boa saída de bola e velocidade para o esquema que Maurizio Sarri está implantando, porém, deverá evoluir seu posicionamento, já que o sarri-ball tem como princípio a pressão na saída de bola e avanço das linhas para que a mesma seja eficiente. Outro ponto que deverá pesar contra o jovem dinamarquês é que ele não vai bem nas bolas aéreas, muitas falhas durante a última temporada evidenciaram isso e o custou a vaga de titular no time de Antonio Conte. Em contrapartida, o zagueiro também pode atuar como volante, polivalência apreciada por Maurizio Sarri.

Cahill: O experiente zagueiro e agora capitão integral ainda possui grande prestígio no Chelsea, apesar de ter revezado bastante na última temporada entre o banco e o time titular, Cahill é uma opção que soa estranho se tratando do modo de jogar de Maurizio Sarri. Tudo porque não possui boa saída de bola e a velocidade não é o seu maior atributo. O que pode contar a favor é a sua experiência, sua bola aérea fortíssima (talvez a melhor do Chelsea) e sua liderança no vestiário dos blues.

David Luiz: David Luiz voltou ao Chelsea em 2016 e foi peça chave do 3-4-3 de Antônio Conte na conquista da Premier League do mesmo ano, porém, na temporada passada amargou o banco de reservas com o técnico italiano, claramente um problema pessoal entre eles devido a discordância dos métodos de treino e táticos. O “geezer” tem feito boas partidas nessa pré-temporada do Chelsea, tentando reconquistar seu espaço. Ganhando e fazendo muitos elogios ao novo técnico dos blues, David em uma entrevista para o site do Chelsea, deu a seguinte declaração: “Eu amo a filosofia de Sarri. Nós jogamos para frente, com muita posse de bola e com muita técnica. Ele (Sarri) está nos ajudando todos os dias para aprendermos o mais rápido a sua filosofia. Uma nova filosofia de jogo sempre leva tempo. Mas depende somente de nós”. O brasileiro parece ter a cara desse novo modo de jogar do Chelsea, boa saída de bola, muito técnico, faz bons lançamentos e viradas de jogo, velocidade aceitável e ainda pode jogar como volante. Ao que parece, deve continuar no Chelsea e estará envolvido direto com o time titular.

Antônio Rudiger: Contratado na temporada passada, Rudiger não demorou a ser titular com Antonio Conte. O alemão possui muita força, velocidade e faz bons lançamentos e viradas de jogo, bom na bola aérea defensiva e ofensiva, certamente deve brigar mais uma vez para ser titular, ainda mais que se assemelha com o antigo comandado de Maurizio Sarri, Koulibaly. Certamente deve se encaixar bem na nova proposta de jogo que o italiano traz para Stamford Bridge, tendo bastante minutos de jogo.

Zouma: O francês é uma das incógnitas para esse elenco. O jovem francês (23 anos) mostrou muito potencial desde que chegou em 2014, mas em 2015/16 foi destaque em uma temporada que tivemos pouquíssimas alegrias, até que uma grave lesão o tirou dos campos e, para completar sua recuperação fora emprestado para o Stoke. Lá alternou a titularidade e o banco de reservas, mas foi mais titular e até certa altura do campeonato fora alento na tão vazada zaga do Stoke. Zouma tem velocidade, posicionamento, recuperação, força e dispensa comentários pela (ótima) bola aérea tanto defensivamente como ofensivamente. Com o grande número de zagueiros para apenas duas vagas e interesse de diversos times da Europa, Zouma poderá deixar o Chelsea.

Ethan Ampadu: Esse jovem de 17 anos vinha mostrando muito potencial e fazendo ótimas partidas na base do Chelsea. Fora promovido ao elenco titular dos blues na metade da temporada passada por Antonio Conte para participar de alguns jogos de Copas. O garoto foi tão bem que passou a participar integralmente do elenco principal e vem sendo elogiado por Maurizio Sarri. Ampadu tem bom posicionamento, saída de bola, boa técnica e ainda pode jogar de volante. Ampadu é o futuro do Chelsea e é muito promissor conosco, porém, ainda não se sabe se ficará envolvido com o elenco principal ou será emprestado para ganhar minutos de jogo e voltar mais experiente.

Certamente é uma dor de cabeça (boa) para Maurizio Sarri, pois ele tem opções das mais variadas para montar o setor defensivo que melhor lhe atende e de acordo com suas convicções. O Napoli na temporada passada foi vazado 27 vezes, terceira melhor defesa da Serie A Tim, mesmo com futebol ofensivo, Sarri dá atenção especial a defesa como todo bom técnico italiano, mas ele acredita que, se todo mundo ajudar, com linhas bem avançadas para recuperação da bola, a defesa vai sofrer pouco. Nos resta torcer para que essa nova filosofia vingue e o Chelsea possa voltar a disputa do título inglês e a Champions League.

Postar um comentário

0 Comentários