Os números mentem? Espero que não


Ter média de 60, 70 ou até incríveis 80% de posse de bola, muitos passes trocados e o domínio das ações do jogo nem sempre é sinônimo de bons resultados, vitórias e conquistas. Cansamos de ver times que ficam rodando a bola no meio-campo ou na defesa durante o jogo todo e jogadas ofensivas que é bom, nada. Mudar de esquema e postura da noite pro dia nem sempre é fácil, cabe adaptação - onde nem sempre vai ser imediata, paciência e muito treinamento. O Chelsea dessa temporada une tudo isso e apresenta um futebol vistoso, bonito de se ver jogar, extremamente objetivo e ofensivo - contrariando a escola italiana de marcação e que prioriza boas defesas, e enche de esperanças o torcedor que anseia títulos e mais títulos. Porém... tudo isso pode não significar nada.

Como equipe na Premier League, se considerarmos os 3 principais quesitos para se analisar as estatísticas gerais deu uma equipe - Gols marcados, número de passes trocados e jogos sem ser vazado -, o Chelsea lidera uma e é vice-líder em outras duas. Vamos aos números:

No quesito gols marcados, os blues tem a segunda melhor campanha com 14 gols, apenas atrás do Manchester City com 19. E pasmem: tendo Morata como titular em vários jogos. Em número de passes trocados, lideramos com quase 300 passes a mais que o vice Manchester City, são 4.519 dos blues contra 4.261 dos cityzens. E no quesito jogos sem sofrer gol, nosso recém contratado Kepa Arrizabalaga passou 3 jogos em branco, apenas 1 a menos que Alisson, do Liverpool, que lidera a lista com 4 clean-sheets. Números estes que, como equipe, demonstram que o Chelsea irá brigar de igual para igual com times de trabalhos mais longevos e de elencos mais qualificados, casos de Manchester City e Liverpool.

Por outro lado, os últimos 2 times não tem um diferencial bem relevante e interessante: Eden Hazard. Nosso belga já vem de 5 gols apenas na Premier League, é o artilheiro momentâneo da competição e nem sem começar todas as partidas como titular. Ainda do Chelsea, temos Jorginho que lidera as ações de passes trocados, com 689 passes desde o início da Premier League, somando quase 100 passes a mais que o segundo colocado Laporte, do City. Nesse mesmo quesito, o Chelsea possui outros 4 jogadores no top 10 - Rudiger, David Luiz, Azpilicueta e Marcos Alonso.

Mesmo com todos esses números positivos e que dão margem a muita esperança e expectativa, isso não significa títulos. O trabalho está apenas começando, é de suma importância que o torcedor tenha os pés no chão principalmente porque o Chelsea vem de uma temporada muito conturbada internamente e que refletiu em derrotas e mais derrotas dentro de campo. Com esse time, com Eden Hazard, com Maurizio Sarri e com o apoio do torcedor, o Chelsea pode vir a conquistar taças ainda em 2018/19, mas não é motivo de desespero se isso ainda não acontecer. Vida longa ao esquema ofensiva, vida longa ao nosso camisa 10 e vida longa a Maurizio Sarri em Stamford Bridge.

Texto escrito em 29 de setembro, antes da partida contra o Liverpool, portanto, os dados irão mudar um pouco dependendo de quando você irá ler esse texto. Estatísticas: Premier League.

Postar um comentário

1 Comentários