Porque Sarri fará de Hazard o melhor do mundo

Hazard já tem 5 gols nessa Premier League e marcou sempre que começou como titular. (FOTOchelseafclatestnews.com)

Por Marco Túlio Loureiro Linhares

15 de setembro, sábado a tarde e, em Stamford Bridge, o Chelsea enfrentava o recém promovido Cardiff pela quinta rodada da Premier League, em busca da manutenção do 100% de aproveitamento e do topo da tabela. Jogo tranquilo, sem a necessidade de sustos, se pensarmos de imediato. Contudo, aos 16 minutos do primeiro tempo, em uma bola alçada na área, aproveitando-se do desleixo da defesa, Souleymane Bamba abria o placar para os visitantes. O placar final do jogo? 4 a 1 para o Chelsea, sendo três de Eden Hazard. Do contrário ao susto inicial, o jogo acabou sendo realmente tranquilo – muito graças ao talento do belga. Durante os noventa minutos, o Chelsea, mantendo o padrão, trocou 766 passes, tendo a bola por 77% do tempo e finalizando 15 vezes, sete na direção certa, enquanto os galeses trocaram apenas 227, passes e acertaram o gol apenas duas vezes. As cinco vitórias nos cinco primeiros jogos da Premier League vêm evidenciando a mudança de postura e de filosofia do pragmático Chelsea de Antônio Conte para a nova versão, mais eficiente e letal, de Maurizio Sarri. E dentre todos os beneficiados por essa mudança comportamental, gostaria de ressaltar um em especial: Eden Hazard.

Como o Chelsea fica mais tempo com a bola e, consequentemente, ataca mais que os adversários, o belga passa, também, mais tempo com a bola nos pés, e com a bola nos pés, Hazard é cirúrgico. Segundo estudo divulgado pelo grupo Cies, entre os atletas que disputam as cinco maiores ligas europeias, o belga é quem tem melhor aproveitamento médio quando tenta driblar, convertendo 75% dos 6,4 dribles que tenta por partida. A titulo comparativo, Neymar, que tenta em média 7,3 dribles por jogo, só consegue sucesso em 62% deles e Messi, terceiro no ranking, tem também 62% acerto nos 5,5 dribles que tenta por jogo. É importante ressaltar, igualmente, a disparidade técnica de Messi e de Neymar e de seus respectivos times frente aos adversários que enfrentam nas ligas espanhola e francesa. Hazard é mais eficiente sendo imposto a um nível maior de exigência. Ainda em números, com os três gols – terceiro hat trick do belga pelo Chelsea – do útimo sábado, Hazard atingiu a significativa marca de 19 gols em 2018, sendo que 14 deles foram em jogos do time londrino. O número torna-se ainda mais expressivo se tomarmos por análise o fato de que, no primeiro semestre, o Chelsea não conseguia demonstrar o futebol vistoso e ofensivo que apresenta hoje. Ademais, Hazard não conta com um parceiro de ataque expressivo, o que, em certa medida, dificulta as ações ofensivas do belga. Willian é quem mais se aproxima desse papel.

(FOTO: Metro.uk)
No entanto, apesar de não ter, no Chelsea, um parceiro de ataque à altura, a chegada de Maurizio Sarri vem sendo de extrema importância para o bom desempenho do futebol do belga. Sarri sabe que seu time é mais eficiente atacando e dominando a posse de bola, e Hazard sabe que precisa de um time ofensivo para que atinja seu nível de jogo desejado. Além disso, para que consiga se destacar ainda mais no cenário internacional, Hazard precisa ganhar títulos, com um time competitivo e com campanhas sólidas. E o Chelsea de Sarri pode dar isso a ele. É claro que o time ainda pode se desenvolver mais, principalmente com a chegada de reforços pontuais para o ataque, mas a permanência do belga nos blues pós Copa do Mundo só comprova o quanto o time de Sarri está no caminho certo e o quanto Hazard confia nisso. 

Existem sim, além de Hazard, outros jogadores de peso para brigar pela hegemonia do mundo da bola pós era Messi/Cristiano Ronaldo. Mas, se analisarmos a qualidade, o talento, a liderança e a maturidade – destaco ainda mais esse aspecto por ser, a meu ver, o principal diferenciador entre Hazard e Neymar hoje em dia – Hazard, comandado por Maurizio Sarri, tem tudo para se consagrar como um dos principais nomes do futebol mundial, se não o principal. No começo na década, quando despontava para o futebol europeu, no Lile, as comparações com Messi foram inevitáveis. Não tenho a pretensão aqui de endossar esse coro. Messi, na opinião de quem vos fala, é incomparável. Porém, Hazard tem também jogado muita bola. E, se alcançar Messi é impossível, o belga tem plenas chances, de se tornar o melhor jogador do mundo de sua geração.

Postar um comentário

0 Comentários