O que já era ruim, piorou. Obrigado, Kepa.

(Foto: divulgação)
O que aconteceria se nesta segunda-feira, às 7 horas da manhã, você chegasse no seu trabalho e decidisse não seguir as ordens e estratégias do seu chefe? O que o Kepa fez é grave e punições são necessárias.

Vou contextualizar. Na final da Copa da Liga Inglesa deste domingo, Kepa, aos 118 minutos de jogo, decidiu fazer cera para gastar o tempo e levar a decisão para os pênaltis o quanto antes. Sarri, sabendo que o goleiro espanhol vinha se recuperando de lesão durante a semana, preferiu não arriscar e chamou Caballero para o aquecimento e por conseguinte ao jogo. Primeiro, para ter um goleiro inteiro e sem dores para a disputa de pênaltis. Segundo, porque Caballero é um exímio pegador de pênaltis. A partir daí começou a história.

Kepa rapidamente se levantou e se negou a sair de campo. Por várias vezes fez o sinal de não com o dedo, deixando Sarri completamente irritado e maluco à beira do campo. Caballero, por sua vez, também demonstrou-se irritado com a atitude do jovem goleiro espanhol. Para um clima que já não estava bom, Kepa não ajudou. Conseguiu tumultuar sua relação com seu treinador e até mesmo com seu companheiro de posição. Péssimo para o vestiário.

Chegou os pênaltis, Kepa conseguiu "frangar" na cobrança de Aguero e pegar a de Sané. De nada adiantou. Jorginho e David Luiz erraram e o Chelsea ficou com o vice.

Maurizio Sarri chama Caballero, mas Kepa decide permanecer e não sai de campo na decisão da Copa da Liga Inglesa (Foto: Adrian Dennis/AFP)
Na coletiva pós-jogo, Sarri ressaltou que foi um mal-entendido, que Kepa estava apenas sinalizando que estava em condições de jogo e que não estava se negando a sair de campo. Panos quentes por cima de uma polêmica e tanto. O treinador italiano é bicho velho, soube contornar a situação mesmo de cabeça quente. Certamente não será tão simples e lindo assim nos interiores de Cobham e Stamford Bridge nos próximos dias.

Kepa, como o goleiro mais caro da história do esporte, não pode ficar em cheque com a diretoria em sua primeira temporada como jogador dos blues - assinou por 7 anos. Sarri chama a responsabilidade para si e tranquiliza, ao menos para a imprensa e torcida, a situação. Preocupa a situação futura do Chelsea, já que o clima estava péssimo antes mesmo da final começar. O que parecia acabar bem independente do resultado por conta do ótimo futebol demonstrado pela equipe, acabou com polêmica e mais problemas.

O Chelsea precisa de solução. Precisa bancar Sarri, fazer uma limpa nos atletas mimados que se acham maiores que o clube e, principalmente, colocar todos nos seus devidos lugares. Os tempos sombrios permanecerão.

Postar um comentário

0 Comentários