Guia Blues Of Stamford: O que esperar da segunda temporada de Hudson-Odoi?

Hudson-Odoi é o quinto nome a ser analisado pela equipe Blues Of Stamford. (Foto: divulgação)
Após o Blues Of Stamford lançar os guias completos de Mason Mount, Tammy Abraham, Reece James e Kurt Zouma, chegou a hora da maior promessa da base do Chelsea: Callum Hudson-Odoi. 

Nascido em 7 de novembro de 2000, o inglês Callum James Hudson-Odoi, ou CHO para quem acompanha os perfis relacionados ao Chelsea no Twitter, já é uma estrela em ascensão em plenos 18 anos.

Hudson-Odoi é prata da casa, chegando à academia do Chelsea em 2007, com sete anos de idade. Sua estreia pelo sub-18 dos blues aconteceu em agosto de 2016 e, logo em sua primeira temporada, foram oito gols em 25 jogos, contribuindo, e muito, para o 8º título da FA Youth Cup do Chelsea. Outro destaque interessantíssimo foram os quatro gols em três jogos pelo sub-23 na campanha do EFL Trophy, quando tinha apenas 16 anos de idade.

Mas foi em 20 de dezembro de 2017 que CHO sentiu na pele a atmosfera de uma Premier League. Ele ficou no banco na 1ª rodada da competição, contra o Bournemouth. Pouco mais de um mês se passou e Hudson-Odoi pode dar seus primeiros passos como profissional, substituiu Pedro aos 81 minutos na vitória do Chelsea por 3 a 0 sobre o Newcastle, pela FA Cup, no dia 28 de janeiro de 2018.

CARACTERÍSTICAS

Callum é destro, tem 1,83 metros e joga como ponta-esquerda. É um jogador extremamente liso, que tem como ponto forte o drible e a verticalidade, ou seja, avança sempre para frente, buscando tabelas com os centrais ou definir a jogada em chutes cruzados. Além de utilizar o drible.

Foram essas características que chamaram atenção de Maurizio Sarri na pré-temporada 2018/2019, onde Hudson-Odoi se destacou bastante e garantiu sua presença fixa no elenco profissional do Chelsea, vestindo a camisa de número 20.

OUÇA O PODCAST DO BLUES OF STAMFORD
Disponível no Spotify
E no SoundCloud

Seu primeiro gol como profissional aconteceu na vitória sobre o Sheffield Wednesday por 3x0, na 3ª fase da Copa da Inglaterra, onde jogou muito. Além disso, foi um dos grandes destaques da campanha invicta do Chelsea no título da Europa League, na temporada passada, anotando 4 gols antes de sentir a lesão que encerraria sua temporada 2018/2019.

“Pensei que era um sonho”, disse CHO após marcar seu primeiro gol.


COMPORTAMENTO E ANÁLISE TÁTICA

Um fato curioso de Hudson-Odoi é que, diferentemente de inúmeros outros jogadores da base do Chelsea, ele nunca foi emprestado. Sempre defendeu as categorias de base. No meu modo de ver, a direção sempre entendeu que era questão de tempo até ele brilhar no Chelsea e, sendo inglês, isso pesaria muito. 

Os nove gols em 34 jogos como profissional pelo Chelsea mostram isso. Além de ser um jogador incisivo, que visa sempre o gol, ele traz um dinamismo absurdo para aquilo que é carente no nosso elenco atual. 

Para analisarmos taticamente o garoto, vamos utilizar como base seu primeiro jogo de 90 minutos na Premier League, contra o Brighton, ainda sob o comando do ex-treinador Maurizio Sarri. 

Ele começou o jogo pelo lado direito, formando a trinca de ataque com Hazard e Giroud. Logo de cara, notamos que ele chama muito o 1 contra 1, isolando o lateral do adversário e arrastando a defesa mais a fundo, proporcionando jogo no campo de ataque do Chelsea. Foi assim, inclusive, que nasceu o primeiro gol do jogo: CHO dribla o marcador e cruza rasante para Giroud. Esse lance fez de Hudson-Odoi o jogador mais novo a dar uma assistência na temporada passada. Durante o jogo, outro traço característico de Hudson-Odoi ficava claro: a troca com o outro ponta. Ele tem muito essa facilidade de jogar dos dois lados e confundir a marcação. 

No geral, CHO é um ativo que ataca, é criativo no modo de pensar e definir jogadas e ajuda defensivamente, apesar de fugir um pouco de suas características.

(Mapa de Calor de CHO em sua estreia. Fonte: Football Bloody Hell)

POLÊMICA

Mas nem tudo nessa vida são flores. Hudson-Odoi se envolveu em um episódio polêmico na temporada passada, onde uns o defendiam e, outros, o criticavam. 

Explico. Era notória a insatisfação dele e de seu staff por não ser titular absoluto e não começar muitos jogos de Premier League, principalmente pelo fato de que, sempre que jogava, correspondia e muito. A torcida estava ao seu lado, unindo o fato de ser bom de bola, inglês e da base, algo que muitos queriam ver há anos. Por isso, nasceu um fortíssimo rumor de uma possível transferência para o Bayern de Munique, da Alemanha.

OFFICIAL SUPPORTERS CLUB

Com o passar das semanas, esse rumor se transformou em realidade e a grande mídia britânica e europeia noticiava que CHO havia solicitado um pedido de transferência formal a diretoria do Chelsea, afirmando o desejo de sair após se sentir seduzido pela proposta do Bayern. 

Segundo o The Guardian, a proposta girava em torno de 22.5 milhões de libras e a promessa de ter muitos minutos durante a temporada, podendo até se tornar titular com a saída iminente de Ribéry. 

Coincidentemente (ou não) depois disso, Sarri passou a utilizar muito mais o garoto. Inflando ainda mais os perfis do Chelsea no Twitter e os torcedores de todo o mundo. Uns, entendiam o garoto. Outros, criticavam, dizendo que era ingratidão com o time que o moldou. 

Difícil opinar dessa forma, afinal, gratidão e desejo são variáveis que não se medem, apenas quem as tem, sabe.

SITUAÇÃO ATUAL

Mas, para a alegria de todos, Hudson-Odoi está prestes a assinar uma renovação de contrato com o Chelsea. Confesso, acho que está demorando bastante e ficou claro que o staff dele não é fácil de lidar (há rumores que eles pediram a camisa 10 para ele renovar, condição inegociável, mas não passa de especulações), mas isso me traz uma alegria enorme. 

O lado ruim é que, no dia 22 de abril, no empate em 2-2 contra o Burnley, Callum lesionou o tendão de aquiles, uma lesão gravíssima, que em outros esportes, pode até significar fim de carreira. 

Se você gosta de fisiologia esportiva, recomendo ver o vídeo abaixo, explicando a lesão (em inglês):



Mas isso foi apenas um obstáculo na carreira de CHO. A cada dia que passa, ele fica mais perto de voltar. 

Os setoristas do Chelsea no Twitter e o próprio treinador Frank Lampard se dizem extremamente esperançosos e impressionados com a recuperação dele. Inclusive, essa pausa para a data FIFA será ótima para prepará-lo ainda mais para seu retorno. Retorno esse que é fundamental para as pretensões do Chelsea nessa temporada. 

O Chelsea tem tudo para ‘virar a chavinha’ com o retorno dele e dos demais lesionados (Rudiger, Loftus-Cheek, Kanté e Reece James) e começar a se portar melhor defensivamente e ofensivamente.

EXPECTATIVAS

No que CHO pode agregar em seu retorno? Produto final e ‘fechar jogos’. Por se tratar de um jogador extremamente agudo, podemos esperar gols e assistência por parte dele, sendo peça fundamental do elenco e, com contrato renovado (essa é a tendência) finalmente se desenvolver mais e mais e se tornar a estrela que todos sabemos que pode ser no cenário mundial, tanto pelo Chelsea quanto pela Seleção da Inglaterra. 

PODCAST OF STAMFORD S02E04:

Uma coisa é certa: ele será cobrado por isso. Caso confirmado seu novo contrato, o atleta receberá, segundo o The Sun, 180.000 libras por semana, podendo chegar a 200.000 com base em performance e bônus, um valor elevado para um jogador de apenas 18 anos e com relativamente poucas partidas pelo profissional. 

A fanbase ele tem. Agora, é hora de traduzir todas essas expectativas em gola na rede.

CURIOSIDADES

Um fato curioso de CHO é que ele estreou primeiro pela seleção inglesa, antes mesmo de pisar no gramado como profissional do Chelsea. Pode-se dizer que Gareth Southgate enxergou um pouquinho antes de Maurizio Sarri a necessidade de se ter um jogador como ele para quem almeja grandes conquistas. 

A prova disso é que, desde a base, Hudson-Odoi já é vitorioso. Ele conquistou a Copa do Mundo Sub-17 em 2017, anotando três gols e ficando ao lado de Rhian Brewster (atacante do Liverpool) como artilheiros da seleção no torneio. 

Outra curiosidade, particularmente minha favorita, foi que em 19 de janeiro de 2014, Samuel Eto’o marcou um hat-trick contra o Manchester United. Ao explodir em êxtase por decidir mais uma partida importante em sua carreira, o camaronês correu para a beira do campo e avistou um garoto, na flor de seus 14 anos, trajado por completo de Chelsea, com um sorriso de boca a boca ao ver um goleador como Eto’o in loco.

Essa criança era ninguém mais ninguém menos que ... CALLUM HUDSON-ODOI.

Hudson-Odoi, com 14 anos, e Eto'o, em Stamford Bridge. (FOTO: Divulgação)
AVALIAÇÃO ATUAL 

Callum Hudson-Odoi tem potencial para ser um superstar do futebol mundial. Dono de atributos que dão inveja em muitos jogadores já veteranos, CHO terá a chance após se recuperar de lesão de elevador o patamar do time do Chelsea, principalmente em uma temporada onde estamos impossibilitados de contratar. Ele queria ser protagonista, por isso quase saiu do clube, certo? Pois agora ele será. Prevejo-o como o líder da trinca de ataque do Chelsea, trocando bastante com Pulisic, tabelando com Mount, chamando defensores para o 1 contra 1 e deixando Abraham na cara do gol. 

É a nova era do Chelsea, a Youth Era, e Hudson-Odoi terá tudo para ser um dos maestros dessa orquestra. 

Desempenho atual: ★★★☆☆
Capacidade: ★★★★★



Postar um comentário

0 Comentários