O paradoxo futuro do Chelsea

Chelsea conta com quase meio time formado por suas categorias de base. (Foto: Chelsea FC)

Quando falamos em futuro, logo pensamos em jogadores formados na base. Inclusive, esse é um tema bastante controverso que, vez ou outra, os torcedores do Chelsea debatem e cobram o clube: coloquem a base para jogar! Nada mais justo, a base do Chelsea é considerada a melhor youth academy do mundo, com diversos títulos conquistados e talentos de sobra (muitas vezes não utilizados). Nós, do Blues Of Stamford, produzimos vários guias sensacionais com as jovens promessas que voltaram de empréstimo e devem fazer parte da equipe principal do Chelsea nessa temporada 2019/20.

Por outro lado, esses mesmos torcedores ainda questionam o clube: por que não contratam estrelas como antes? É aí que entra o nosso questionamento. Como será o futuro do Chelsea assim que o transfer ban acabar? Faremos mais contratações bombásticas e manteremos a base ou vamos esquecê-la como era feito pelo nosso departamento de futebol?

Estamos em meio ao transfer ban (sem poder registrar novos jogadores) e mesmo nessa janela faturamos alto com algumas vendas, algo em torno de 200 milhões de libras. Jogadores que não seriam titulares no Chelsea e estavam emprestados à outras equipes, foram vendidos habilmente por Marina Granovskaia, que apesar de errar bastante em contratações, consegue negócios maravilhosos por jogadores encostados no elenco. Em contrapartida, sabendo do nosso momento e do impedimento a contratações, Frank Lampard foi contratado com a seguinte missão: utilizar nossa youth academy e desenvolver nossas joias. Jogadores como Loftus-Cheek, Hudson-Odoi, Reece James, Mason Mount e tantos outros, podem finalmente ter sequência e mostrar seus valores.

LEIA MAIS:

Quando a temporada acabar e hipoteticamente estivermos fora de mais uma Champions League (é o esperado) e o transfer ban tiver terminado, qual será a 'nova' exigência da torcida? Vão ter paciência com esse novo modelo? E qual será a nova direção que o departamento de futebol do Chelsea vai rumar? É preocupante, ainda mais se levarmos em conta que nessa temporada poderemos ficar fora da próxima edição da Champions League. As grandes contratações voltarão? Se sim, serão de baciada? E os jovens que lutaram e lutarão tanto por espaço nessa temporada, faz o quê? Empresta de novo? Vende? É realmente preocupante e o pior, não sabemos o que esperar. São muitas questões a serem consideradas

O que eu acho que vai acontecer

Acredito que, com a vinda de vários ex-jogadores para o departamento de futebol, como Petr Cech, Makelele, Lampard, dentre outros, utilizarão o máximo de jovens durante este transfer ban, tentando extrair o melhor deles para saber com quem podem contar para a próxima temporada. Porém, quando iniciarmos a próxima temporada alguns desses jovens devem ser emprestados, outros vendidos e contratações chamativas devem ser feitas, principalmente para as posições carentes, a chegada de um jogador world class, que entre, ajuste e tome conta da posição. Mesmo que nossos jovens deem conta do recado.

Hudson-Odoi, de 19 anos, deve ser o grande diferencial da equipe na temporada. (Foto: Chelsea FC)

Podemos concluir que se não estivéssemos impedidos de contratar, pouquíssimos jogadores da nossa base seriam utilizados e teriam a sequência que os torcedores pedem.

Por outro lado, há deficiências evidentes no time e que talvez não sejam supridas pela nossa base. Acredito que nossa diretoria deve buscar alguns reforços, mas não acredito que todos os jogadores que vêm se destacando tanto, prossigam como importantes ou tenham tantos minutos na temporada que vem. Espero estar errado.

O que eu gostaria que acontecesse

Eu gostaria que acontecesse algo próximo do que acho que vai acontecer. Gostaria que todos os jogadores que se destacarem e tiverem bastante minutos nessa temporada ficassem no elenco para a próxima temporada. Inclusive, tomando lugar de medalhões já desgastados no Chelsea, como é o caso do Azpilicueta, Alonso, Willian, Pedro, e Giroud. Os jovens devem ser considerados o nosso futuro e não só uma oportunidade que foi imposta pelo impedimento de contratar. Frank Lampard sabe muito bem disso e que ele possa ter desempenho aliado a resultados, para que tenha tranquilidade de nos guiar para uma era nova. A começar por agora.

Porém, é inegável que precisamos de alguns reforços, principalmente na zaga e lateral esquerda. Consolidar o sistema defensivo com 2 jogadores do mais alto calibre seria o melhor dos cenários para o Chelsea e Frank Lampard. Considerando que nossas opções na base ainda não estão totalmente prontos para esta missão, algumas contratações são necessárias.

Concluindo

O Chelsea vive um momento crucial. Momento de transição, desenvolvimento de jovens estrelas e a consolidação dos mesmos. É por isso que a torcida precisa entender o processo de reconstrução que o clube vive. Não vai ser fácil ver o time ser derrotado diversas vezes, quebrar alguns recordes negativos ou vê-lo em uma posição na tabela que não é condizente com a sua grandeza. Mas é necessário que a torcida abrace esse projeto de longo prazo e não caia no paradoxo que nos espera no futuro, após o término do transfer ban. É nossa responsabilidade dar tempo e apoiar Frank Lampard no que precise daqui pra frente. Contratações de impacto são boas, mas pavimentar o futuro que já estamos construindo é mais prazeroso ainda.


Postar um comentário

0 Comentários