Hudson-Odoi: o futuro do Chelsea está em casa

Frank Lampard será o responsável pela desenvolvimento de Odoi pelas próximas temporadas

Callum Hudson-Odoi é, sem dúvidas, o mais promissor entre todos os atletas da base que integram o elenco profissional do Chelsea nessa temporada. O jovem de 19 anos fez sua estreia sob o comando de Antonio Conte, na vitória por 3 a 0 sobre o Newcastle, em partida válida pela FA Cup. De lá para cá, Hudson-Odoi já ultrapassou a marca dos 50 jogos oficiais pelo clube, já soma 8 gols e 10 assistências por todas as competições e seu desenvolvimento e sua evolução são nítidos.

Foi sob o comando de Maurizio Sarri, sobretudo na campanha que levou ao título da UEFA Europa League 2018/19, que Callum amadureceu como atleta e viveu seus melhores momentos pelo Chelsea. Nessa competição, participou de 9 das 13 partidas, marcou 4 gols, deu 2 assistências e, juntamente com Olivier Giroud, vinha sendo o principal destaque da equipe. Contudo, uma séria lesão no tendão de aquiles, no mês de abril/2019, pôs um fim à temporada do jovem e deixou-o de fora das semifinais e da grande final de Baku.

LEIA MAIS:
+ Como Ancelotti pode seguir ajudando Frank Lampard no Chelsea
+ O novo coronavírus e seus impactos na janela

A volta aos gramados ocorreu apenas em setembro/2019, em partida válida pela Copa da Liga e já sob o comando de Frank Lampard. O novo técnico do Chelsea foi também o responsável por convencer Hudson-Odoi a assinar sua renovação por mais 5 temporadas, garantindo sua importância no processo de reestrutução da equipe. Como qualquer jogador que retorna de uma grave contusão, levou um certo tempo para que ele voltasse a demonstrar aquele nível de jogo que encantou a todos com Maurizio Sarri, o que fez com que muitos torcedores o criticassem de forma muito contundente, chegando a dizer que ele não valia o esforço que fora feito para sua renovação de contrato.

QUIZ:
+ Você se lembra destes momentos históricos?
+ Você REALMENTE conhece a história do Chelsea?

A verdade é que, passada a fase de readaptação e de ganho de confiança, voltamos a ver aquele jogador que parte para cima de adversários e cria ótimas chances. Até o momento, são 3 gols e 5 assistências nos 25 jogos nos quais participou, a grande maioria deles vindo do banco de reservas. A título de comparação, Willian, principal nome de ataque da equipe desde a saída de Eden Hazard, possui 7 gols e 6 assistências, sendo titular a maior parte do tempo. Quando comparado com o desempenho de outras jovens promessas na atual Premier League, como Martinelli (Arsenal) e Greenwood (Manchester United), empata em número de contribuições para gols com o último (5 para cada, 3 de Gabriel) e os supera em grandes chances criadas (5 contra 0 dos outros dois), em precisão de passes (85% contra 70% e 83%, respectivamente) e em precisão nas bolas longas (84% de CHO contra 40% e 82%, respectivamente).

Callum Hudson-Odoi,Willian
Willian tem sido importante no desenvolvimento de Hudson-Odoi
Foto: 90min.com

A conclusão a que se chega, e isso não é novidade para ninguém, é que temos um diamante bruto que, pouco a pouco, vem sendo lapidado. Nesse sentido, o papel de jogadores experientes no elenco, como Willian e Pedro, por mais que, por um lado, limitem o tempo de jogo do jovem inglês, por outro, tem a função de não depositar em seus ombros todo a pressão de ser, agora, a estrela que ele tem potencial para ser no futuro. Com a chegada de Ziyech, Pulisic 100% fisicamente e com os ótimos Mason Mount e Tammy Abraham, o Chelsea tem tudo para ter um dos melhores conjuntos ofensivos da Inglaterra, algo que nos credenciaria a voltar a almejar grandes conquistas nos próximos anos.



Postar um comentário

0 Comentários