Ainda bem que todo ciclo tem seu fim

Harriet Lander/Copa/Getty Images

Ciclos se abrem e ciclos se fecham. São períodos onde, trazendo para a nossa realidade, um jogador tem para marcar o seu nome na história de um clube, seja positivamente ou negativamente. Pedro e Willian, com 5 e 7 anos de Chelsea, respectivamente, encerraram seus ciclos dentro de Stamford Bridge. E ainda bem

A 'Era' de Lampard, Drogba, Terry e Cech passou e sobrevivemos sem ela. O Chelsea seguiu vencendo. A 'Era Hazard' também passou e tem em Azpilicueta o seu último homem. É o principal nome daquele elenco (bicampeão da Premier League, de Copas domésticas e de uma Europa League) que restou e será ele o responsável por comandar a nova 'Era' de Ziyech, Werner, Pulisic e, quem sabe, Havertz


Willian e Pedro deixam o clube no momento certo. Ambos não farão falta tendo em vista os nomes que chegaram para a próxima temporada e os que ainda podem chegar. Os dois foram importantes em determinados momentos e diria que ambos têm "tamanhos" parecidos dentro do clube. Willian não é o maior brasileiro da história do Chelsea. Pedro não se tornou ídolo. Nem o brasileiro. Jogadores importantes que ganharam títulos locais de relevância, mas não fizeram o suficiente para serem os nomes de um ciclo. Não foram protagonistas em momento algum. Hazard, por exemplo, foi. E por isso ele se tornou ídolo.

A vida segue. O Chelsea não podia se manter refém de jogadores com mais de 30 anos que não rendem mais o que rendiam quando chegaram. Lampard tem ótimos nomes em suas mãos e a grande maioria com um enorme potencial para o futuro. É hora de olhar para frente e trabalhar para que o Chelsea tenha uma nova Era tão vitoriosa quanto as últimas.


Postar um comentário

1 Comentários

  1. O William foi muito mais importante que Pedro para o Chelsea, foi importantíssimo na campanha do título da Europa League, onde Hazard estava muito irregular ou machucado não me lembro.

    ResponderExcluir