Lampard fala sobre os problemas defensivos às vésperas de estreia na UCL

Getty Images

Por Tim Langendorf 

O Chelsea inicia jornada na Champions League 20/21 amanhã (20), às 16h, contra o Sevilla, em Stamford Bridge, e o treinador deu entrevista coletiva falando sobre o confronto, as complicações na defesa azul e a situação de um aguardado retorno.

Com os 3 gols sofridos contra o Southampton, no último sábado (17), a equipe chegou a marca de 63 gols sofridos em 43 jogos de Premier League, desde a chegada de Lampard na temporada passada. Perguntado sobre assunto, o técnico admitiu que são números incompatíveis com um time que quer lutar pelo título, mas trouxe à mesa uma estatística pouco falada e que elucida alguns pontos interessantes.

Desde que cheguei aqui somos a segunda equipe que menos sofreu finalizações na liga, atrás do Manchester City, isso nos ajuda a afunilar alguns de nossos problemas. Nós não concedemos muitos chutes a gol, mas quando acontece, sofremos gols. É algo que estamos cientes quando miramos contratações, e mais importante, quando trabalhamos diariamente com os jogadores para garantir que sejamos organizados.

Queremos sofrer menos gols, como todas as equipes. Há times na Premier League sofrendo muitos gols no momento, e de certa forma estamos numa situação similar. Isso é algo que sempre trabalharemos, tanto quanto trabalhamos nosso jogo ofensivo.

Nada vem de graça na Premier League ou na Champions League. Tudo que temos que fazer é seguir adiante e trabalhar. Temos jogadores em forma, o que tem sido uma dificuldade para nós. Temos que criar uma boa relação dentro de campo e nos manter calmos.

Getty Images

Após sobreviver à fase de grupos e ser eliminado pelo campeão Bayern de Munique nas oitavas-de-final da última UCL, Lampard acredita que os jovens aprenderam muito sobre a competição e estão bem cientes do que esperar de uma competição de elite.

É uma ótima plataforma para o aprendizado, pois você joga contra os melhores da Europa, e enfrentamos o melhor da última temporada, Bayern. Isso mostra a qualidade que se enfrenta na Champions League e também evidencia que éramos uma jovem equipe ano passado, muitos jogando a competição pela primeira vez, e podemos aprender com e usar essas experiências. O Bayern foi um grande marco para os jovens jogadores do elenco, para se compreender o nível que precisa ser atingido.

O treinador acredita que o Sevilla trará um tipo diferente de desafio, mas insiste que os mesmos princípios são necessários para se alcançar um resultado positivo, reforçando que saber “gerenciar a partida” é essencial em jogos como esse.

Concentração, foco e disciplina são ainda mais importantes contra adversários como o Sevilla. Sigo falando sobre a necessidade de se trabalhar e como as coisas às vezes levam tempo. Estamos jogando com novos jogadores e é compreensível haver momentos em que eu fale sobre saber gerenciar as partidas. É algo que precisa ser trabalhado e uma lição a ser aprendida com o tempo.

O treinador encerrou com uma atualização positiva sobre Billy Gilmour, que se recupera bem da séria lesão no joelho sofrida na reta final da última temporada.

Billy está indo muito bem. Provavelmente retornará em três ou quatro semanas. Está trabalhando separadamente com os fisiologistas no momento, mas esperamos integrá-lo aos treinos, seja conosco ou com o sub-21, em breve. Imaginamos tê-lo ao final da próxima data FIFA, se tudo correr bem.


Postar um comentário

0 Comentários