Até logo, nostalgia

Cole e Ivanovic se tornaram ídolos do Chelsea atuando pelas laterais. (Divulgação)

Eu me considero uma pessoa muito nostálgica. Adoro reviver o passado, dar o play em vídeos de partidas inesquecíveis e relembrar jogadores que fizeram a diferença na história dos times que torço (não somente no futebol, mas em outras modalidades esportivas também).

No Chelsea, a nostalgia é um prato cheio. Em um passado não muito distante, Didier Drogba, John Terry, Ashley Cole, Petr Cech, Branislav Ivanovic, Michael Essien e nosso atual treinador Frank Lampard são exemplos disso. Foram gols, defesas, jogadas e títulos que aquecem nosso coração até hoje.


> Allan Pedro Bastos: O início arrasador de Ziyech

> Todos os episódios do Podcast Of Stamford 


Mas sabe o que é melhor que contemplar o passado? Contemplar o presente e mergulhar nas promessas de um futuro maravilhoso. E isso, meus amigos, está acontecendo bem diante dos nossos olhos. Poderia escrever uma bíblia sobre, mas quero focar em uma posição especial: a LATERAL. O motivo? Trata-se da posição mais carente à nível mundial e que é fundamental para trazer equilíbrio para qualquer time.


Tenho certeza que muitos de vocês, torcedores do Chelsea que acompanham nossas colunas, lembram com carinho de como é ter jogadores que DOUTRINARAM essa posição. Afinal, não é todo dia que um lateral guarda dois contra o Liverpool em quartas-de-final de Champions League e faz o gol do título de uma Europa League. Ou que sai do maior rival para conquistar títulos e o faz, com maestria, liderança e classe.

Você sabe de quem estou falando. Ivanovic e Cole são para o Chelsea o que Cafu e Roberto Carlos são para o Brasil (guardadas as devidas proporções, obviamente).


INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE


Depois deles, vieram outros jogadores e, com isso, alguns problemas na posição. Paulo Ferreira, Bosingwa, Marcos Alonso, Azpilicueta e outros atletas tiveram seus momentos (o último ainda o tem, com status de capitão e Chelsea Legend), mas longe de serem unanimidade.

Mas agora, na temporada 2020/2021 podemos encher o peito e dizer: HABEMUS LATERAIS PARA ANOS.

Reece James e Ben Chilwell são monstruosos. O primeiro traduz força física, imposição e domínio de bola em perigo toda vez que faz um cruzamento ou arma uma jogada. É impressionante o quanto Reece é bom de bola. Parece veterano. Se ainda não é, vai ser o melhor lateral direito da Inglaterra em pouco tempo.


(Chelsea FC/Getty Images)

Ben Chilwell fez, em um ou dois jogos, quem preferia Tagliafico, Alex Telles ou Reguilón se arrepender profundamente e agradecer a Marina Granovskaia pela barganha e Frank Lampard pela visão de mercado. Chilly B já é um favorito dos fãs e é extremamente completo aos 23 anos de idade: ataca, defende, tem G/A invejável e tudo isso em 5 jogos pelo Chelsea. CINCO. É uma máquina.

O futuro com esses dois é brilhante. Tenho certeza que, daqui uma década, seguiremos assistindo vídeos e relembrando momentos, mas dessa vez da cria de Cobham e do inglês com sangue de gelo. Até lá, me ‘despeço da nostalgia’ e recebo de braços abertos o presente que é essa dupla de laterais.



Postar um comentário

0 Comentários