Hora de sacudir a poeira e lavar a roupa suja

Reprodução footyheroes.com

Depois de mais uma derrota, principalmente da maneira que foi contra o Manchester City, é inevitável o apedrejamento a Frank Lampard. Dezembro veio como uma bomba para o treinador do Chelsea. São três vitórias, dois empates e quatro derrotas, sendo duas delas para rivais diretos (Everton e City) pela briga do top 4 e uma derrota no dérbi de Londres para o Arsenal. 


A derrota no dérbi foi a mais dolorida dessa sequência, muito porque a moral do nosso rival estava baixa e acreditávamos que era a chance de quebrarmos a nossa sequência, não só de derrotas, mas de performances ruins. Acabou que aconteceu o contrário do que pensávamos, perdemos e aumentamos a moral do Arsenal, mais uma vez ressuscitamos um “morto”. O mesmo já tinha acontecido com Everton e Wolves, sem contar no empate frustrante em Stamford Bridge.


Uma expressão muito utilizada aqui no Brasil e que muitas vezes acontece em times que estão nesse tipo de sequência ruim é: “lavem a roupa suja”, ou “sacudam a poeira”. É o que precisamos fazer. Ou esse elenco assume a responsabilidade, bem como Frank Lampard, bastante contestado (com justiça) das fracas exibições do time, ou teremos um flashback de um ciclo vicioso que acontece no Chelsea há anos e achávamos que, com esse projeto a longo prazo liderado por Frank Lampard, havia se encerrado e acabará com a demissão de nossa lenda. É hora da roupa suja ser lavada, o elenco se fechar e o técnico usar todo o potencial desse time a seu favor.

Acredito que o melhor projeto é a continuidade, mas Frank precisa merecer isso. No momento, não tem feito. Saíram notícias no The Athletic que alguns membros do time estavam insatisfeitos com sua conduta, principalmente pela entrevista que deu após a derrota para o Arsenal. Isso tudo é contornável, a ver se a prioridade são os egos ou o Chelsea. Se o Chelsea estiver acima de tudo isso, o time se fechará e Lampard corrigirá suas deficiências. Claro que esse é o mundo ideal, mas no futebol muitas vezes não funciona assim e nós torcedores só podemos esperar que haja muita reflexão, conversa e, principalmente, treinamento. Sempre em prol de buscar o melhor para o time.

É a terceira temporada de Frank como técnico e é a primeira que enfrenta tamanho escrutínio, pressão e situação delicada ao ponto de colocar seu emprego em questão. No momento, só podemos ter discernimento e cobrar por melhora. Há muita coisa a ser feita e a temporada está em cheque no momento. Espero, somente, que seja o que a direção decidir, seja em prol da melhora da equipe. Só não podem ficar de braços cruzados esperando algo cair do céu. Façam algo. 



Postar um comentário

0 Comentários