O principal objetivo do Chelsea na temporada foi atingido

O Chelsea dependia apenas de si na última rodada, mas a derrota para o Villa só não culminou em um quinto lugar por conta do Tottenham

Bertrand Traoré, ex-Chelsea, abriu o caminho para a vitória do Aston Villa sobre o Chelsea, por 2 a 1.
Foto: Reprodução Faisal HQ / Twitter

Por Allan Pedro Bastos
Foi difícil e foi chorado, mas o Chelsea conseguiu garantir a última vaga para a próxima edição da UEFA Champions League e estará presente no principal torneio da Europa em 2021/22. O time de Thomas Tuchel terminou a Premier League em quarto lugar, atrás de Manchester City, Manchester United e Liverpool, atingiu seu principal objetivo para a temporada e, agora, se prepara para o jogo mais importante dos últimos 7 anos, a final da própria Champions, contra o City de Pep Guardiola e companhia, no próximo sábado, 29.

A última rodada do campeonato inglês começou com 3 equipes disputando duas vagas na elite europeia, já que a dupla de Manchester já estava garantida: Chelsea em terceiro, com 67 pontos, Leicester em quarto, com 66 pontos, e Liverpool em quinto, também com 66 pontos. A vitória na penúltima rodada, sobre o próprio Leicester, conferiu aos Blues a possibilidade de dependerem somente de si para se classificar, mas quem esperava um triunfo fácil sobre um Aston Villa já em ritmo de férias se surpreendeu com as dificuldade impostas pela equipe de Birmingham, que venceu por 2 a 1 e complicou demais a vida do Chelsea

GRAÇAS AO TOTTENHAM

A qualificação veio, vejam vocês, pelos pés de Bale e Kane, que impuseram um sonoro 4 a 2 sobre o Leicester. O Liverpool, por sua vez, fez sua parte e venceu o Crystal Palace com tranquilidade por 2 a 0, suficiente para terminarem em terceiro.


No início da temporada, era claro para todos que os objetivos eram terminar entre os 4 primeiros na PL e ir o mais longe possível na Champions League, com o objetivo de desenvolver tanto o jovem elenco quanto o jovem treinador, Frank Lampard. A partir deste prisma, é possível afirmar que ambos foram atingidos, mas não sem percalços e dificuldades ao longo do caminho. A principal delas, a demissão de Frank Lampard, caiu como uma bomba para os torcedores, mas hoje percebe-se que foi a decisão acertada naquele momento. Thomas Tuchel chegou, a equipe cresceu substantivamente de produção, eliminou adversários difíceis na Champions, voltou a vencer clássicos no Inglês e termina a campanha classificado para a próxima edição da UCL e com a final da atual ainda por disputar.

Mendy precisou ser substituído no intervalo e fará exames para descobrir se há lesão e sua gravidade. 
Foto: Reprodução Twitter

ALERTA LIGADO

O momento é de comemorar, mas também exige alerta máximo para o confronto derradeiro. O City é, para muitos, o melhor time do mundo atualmente, e não terá qualquer desfalque por conta de lesões para a final. O Chelsea, por sua vez, tem Kanté como dúvida, poupado do jogo de hoje contra o Villa para tentar recuperar-se a tempo, e ganhou uma preocupação adicional ao ver Mendy sair no intervalo e ser substituído por Kepa, após chocar-se contra a baliza no primeiro gol do Villa

Seja como for, final em jogo único tende a nivelar as coisas e dar chances quase iguais aos adversários, mas a verdade é que precisaremos fazer o jogo perfeito para sairmos vitoriosos do Estádio do Dragão. E é exatamente isso que Tuchel deve passar a seu grupo ao longo da semana.

Postar um comentário

0 Comentários