Merci, Giroud

Centroavante francês deixa o Chelsea para se tornar jogador do Milan

Três temporadas e meia após seu anúncio oficial, é chegada a hora de Olivier Giroud dizer adeus ao Chelsea. Foram 119 jogos, 39 gols e 14 assistências com a camisa dos blues. Além dos bons números, o francês deixará o clube com mais algumas linhas na seção de conquistas do seu currículo e com a bagagem mais pesada por conta das taças que conquistou na sua passagem pelo Chelsea. Foram três títulos: FA Cup 2017/18, UEFA Europa League 2018/19 e, para fechar com chave de ouro, UEFA Champions League 2020/21.

Getty

Contratado em janeiro de 2018, Giroud chegou ao Chelsea sob a desconfiança de muitos torcedores. Era improvável se ter um cenário diferente para a contratação de um jogador vindo de um rival e que sempre teve fama de mau centroavante. Apesar da desconfiança, o francês não precisou de muito tempo para mostrar que aqueles que duvidavam dele estavam errados. Em seu terceiro jogo com a camisa dos blues, deu duas assistências e marcou um gol na vitória do Chelsea por 4x0 sobre o Hull City em partida válida pela quinta fase da FA Cup.

O Chelsea de Antonio Conte, que fazia uma temporada bastante oscilante e abaixo do nível apresentado na campanha anterior, precisava garantir uma vaga na próxima edição da Champions League e Giroud foi peça fundamental para que existisse esperança até o fim da temporada. Dentre seus jogos mais marcantes naquele ano estão uma vitória por 3x2 sobre o Southampton no St Mary’s Stadium e um 1x0 sobre o Liverpool em Stamford Bridge; no primeiro, entrou no jogo aos 61 minutos com o Chelsea perdendo por 2x0 e em menos de vinte minutos marcou dois gols, sendo um deles o da virada e contra o Liverpool também foi o responsável pelo gol da vitória. Apesar de seu esforço e boa contribuição, o Chelsea terminou a Premier League em quinto lugar, ficando de fora da Champions League.

A missão Champions League não foi considerada um sucesso, mas não podemos dizer o mesmo da missão FA Cup. Giroud, que abriu seu contador pelo Chelsea em um jogo da Copa da Inglaterra e já tinha conquistado esse título três vezes com o Arsenal, conseguiria adicionar mais esse título em seu currículo. Foi dele o gol que abriu o marcador na semifinal contra o Southampton e deixou o Chelsea a apenas um passo de mais uma conquista. O título foi sacramentado com uma vitória de 1x0 sobre o Manchester United; gol marcado por Eden Hazard.

Chelsea FC

Na temporada seguinte, sob o comando de um novo treinador, Giroud seguiu sendo decisivo. Maurizio Sarri foi, de longe, o treinador menos querido do Chelsea nos últimos anos, mas ainda assim foi capaz de seguir a tradição do clube e conquistar pelo menos um título na temporada. Giroud foi, indiscutivelmente, o maior nome do Chelsea na conquista da UEFA Europa League com 11 gols e 5 assistências em 14 jogos. A grande final foi um de seus melhores jogos na competição: marcou o primeiro gol, sofreu o pênalti que originou o terceiro e deu assistência para o quarto gol do Chelsea. Tudo foi ainda mais especial uma vez que do outro lado do campo estava o Arsenal, seu antigo clube e rival do Chelsea (thank you, Arsenal!). Giroud já cravava seu nome na história do clube naquele 29/05/2019, mas ele não imaginava que viveria algo ainda maior exatamente dois anos depois daquele dia.

FA Cup e Europa League em uma temporada e meia. Nada mau, né? Mas o universo ainda guardava bons momentos para Giroud com a camisa do Chelsea. A temporada 2019/20 foi, sem dúvidas, a mais desafiadora dos últimos anos para o Chelsea. Impedido de registrar jogadores, sem Hazard e com um novo (e pouco experiente) treinador, era hora de fazer a tradição falar mais alto e garantir bons resultados mesmo com um elenco recheado de jovens e sem seu craque dos últimos anos. Mais do que nunca, a experiência de determinados jogadores, Giroud incluso, seria fundamental. E ele apareceu mais uma vez. Na reta final da Premier League, foi peça chave para que o Chelsea garantisse sua vaga na próxima Champions League, que era o objetivo principal do clube na temporada. Dessa vez a temporada se encerrou sem título, mas Giroud não poderia deixar de flertar com a FA Cup; Chelsea foi vice campeão para o Arsenal.

A temporada 2020/21 começou com uma janela arrasadora. Timo Werner, Hakim Ziyech e Kai Havertz chegaram para reforçar o sistema ofensivo e era esperado que Giroud perdesse espaço. De fato, o francês jogou muito menos comparado às temporadas anteriores, mas isso não seria suficiente para tirar seu protagonismo. Foi artilheiro do time na Champions League, com seis gols, sendo quatro deles em um jogo contra o Sevilla, fora de casa, que definia o primeiro colocado do grupo.


Uma troca de treinador no meio da temporada e antes da fase de mata-mata da Champions League fez as coisas balançarem mais uma vez no Chelsea. As esperanças, de início, eram mínimas. Mas seria cruel demais não permitir que Giroud sonhasse com a orelhuda no que poderia ser sua última chance de conquistá-la.

Oitavas de final: Atletico de Madrid. Parecia difícil, mas o Chelsea não encontrou muitas dificuldades para se classificar. Quartas: Porto. Eliminaram a Juventus, não seria fácil. Chelsea conseguiu de novo. Semifinal: Real Madrid. De agora não passa! Chelsea foi dominante, mais uma vez, e garantiu a vaga na grande final. Manchester City e Pep Guardiola, melhor time e melhor treinador do mundo. Era um desafio gigantesco, mas o destino preparava algo especial para os blues e para Giroud naquele 29/05/2021; exatamente dois anos depois da final em Baku, onde Giroud foi um dos protagonistas. Dessa vez ele não esteve em campo, mas isso pouco importa. Giroud foi decisivo para o Chelsea garantir a vaga na competição, decidiu a fase de grupos e foi coroado campeão da maior competição de clubes do mundo em seu último jogo com a camisa dos blues.

Campeão do mundo, da Europa League e da Champions League. O mundo pode não dar o devido valor e fechar os olhos para Olivier Giroud, mas nós jamais poderemos fazer isso. Por onde passa, decide e vence. E não poderia ser diferente em um dos clubes mais vencedores da Inglaterra. Sorte a nossa de termos assistido a Olivier Giroud vestindo a camisa do Chelsea e conquistando a Inglaterra e a Europa com ela. Só nos resta agradecer.

Au revoir, Oli.

Na na na na, Giroud.

Postar um comentário

0 Comentários